[Resenha] A Lista De Brett - Lori Nelson Spielman

Nome: A Lista De Brett
Autora: Lori Nelson Spielman
Editora: Verus | Gênero: Jovem Adutlo
Páginas: 364 |Classificação: 4,5/5
Preços: Saraiva | Submarino

Às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados
Brett Bohlinger parece ter tudo na vida – um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.
Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe. Seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência.


Brett passava por um momento difícil na vida que apenas quem já passou entende. Sua mãe havia acabado de falecer devido a um câncer recém descoberto. As duas ficaram juntas, desde o diagnóstico até o adeus de Elizabeth. Brett imaginava que a morte de sua mãe significariam mudanças em sua vida, mas nada a preparou para e leitura do testamento. Elizabeth decide que, para Brett receber sua herança, ela teria um ano para cumprir algumas metas. A lista de sonhos que Brett escrevera quando tinha 10 anos fora o meio que Elizabeth encontrara para forçar a filha a sair da zona de conforto e realmente ser feliz.


Brett fica sobrecarregada de tantos sentimentos controversos, e achando tudo aquilo um absurdo decide não aceitar. O advogado de Elizabeth, Brad Midar, tinha sido orientado a entregar cartas para Brett assim que ela riscasse um item da lista. Para que Brett não se recusasse, Elizabeth faz com que ela seja demitida e proíbe que qualquer um dos filhos passe mais de 30 dias consecutivos em sua casa.

"Eu não posso fazer isso! Não posso morar em uma área estranha para mim, assolada pelo crime e pela corrupção. Mais uma vez fico pasma. Que diabos minha mãe tinha na cabeça?"

Realmente sem ter escolha a não ser realizar os sonhos da lista, Brett tenta com a ajuda de Brad concluir as metas, e acaba descobrindo que sua mãe a conhecia bem demais. Ela sabia que Brett não estava feliz, por isso vivia acomodada e mesmo insatisfeita com o que tinha não arriscava mudar.. É nessa jornada que ela relembra quem realmente é, e descobre que para conseguir concluir a lista mudanças drásticas seriam exigidas e uma nova maneira de pensar era necessária. O que fazer quando se está entre o conhecido e o desconhecido? O que o destino, ou Elizabeth, tinha planejado para ela? Será que Brett conseguiria concluir a lista a tempo e finalmente ser feliz?


" Do outro lado do cômodo, meus olhos se encontram com os da minha mãe. A foto foi tirada na cerimônia de um prêmio à dois anos, quando ela foi eleita a Empresária Do Ano de Chicago. Ela está estupenda, sim, com as maçãs do rosto altas e pele moreno-clara impecável. Mas, além da beleza em si, sempre senti que a foto capturara a verdadeira essência da minha mãe, sua sabedoria, sua serenidade. Eu me levanto, cruzo a sala e apanho a foto, colocando-a com um baque em cima da mesinha de centro, na frente do sofá. Arrumo novamente o edredom e fico encarando-a.

-Seu plano era arruinar a minha vida, mãe? Era isso que queria?"


Isa Diz:

O que dizer sobre um livro totalmente surpreendente? Eu não esperava uma história bem construída, cheia de surpresas e muito real. Logo no início já me coloquei no lugar de Brett e mesmo não tendo perdido alguém muito próximo, meu coração imaginou como deve ser difícil. Apesar disso, ela soube fazer sua dor valer a pena. 

Primeiro eu achei uma loucura a proposta da mãe, mas depois vi que pior do que tudo dar errado enquanto Brett tentava completar a lista era se ela continuasse vivendo de forma medíocre e infeliz. Me apaixonei por Elizabeth e por incrível que pareça, senti falta dela. Até a última página a narrativa me impossibilitou de traçar os possíveis desfechos, e certamente não seria uma leitura tão boa se não fosse dessa forma.

Pensei que, por tratar da morte, o enredo seria deprimente e cansativo, mas foi totalmente oposto. Livros apaixonantes são aqueles que permitem ao leitor experimentar de todas as emoções um pouquinho, e que no final gera uma sensação agridoce, uma mistura de dor e saudade. Amei tudo nessa obra (capa, editora, autora). É como diz o poeta: "a vida não basta ser vivida, precisa ser sonhada." Espero que amem!

isabela ottoni

Um comentário:

  1. Oi!

    Já ouvi falar muito sobre esse livro, e até fiquei com vontade de lê-lo, mas sempre vou deixando pra lá...Vou colocar na lista novamente, haha.

    Beijos!

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Instagram