[Resenha] Luxúria - Juliana Bizzato

Nome: Luxúria
Autora: Juliana Bizatto
Série: Herança de Sombras (#01)
Classificação: 5/5 | Gênero: Ficção, Romance, Aventura
Páginas:
CompreSite da Autora

Samantha cresceu nos luxos e tradições de sua família e, desde cedo, aprendeu a não fazer perguntas. Ela não precisa saber o que aconteceu ao seu pai, ou por que a Vozinha não permite que as garotas saiam em noite de lua cheia, ou ainda entender a razão pela qual nenhuma Hoffer jamais morou fora da ilha, quanto menos saiu da cidade de Tormento. Ela não precisa saber, apenas obedecer.
Porém a obediência se põe a prova quando Benjamin aparece em sua vida. Benjamin, com sua insistência, com seu charme e com sua tendência a aparecer sempre no momento em que ela mais precisa. De repente o certo parece errado, e o errado... irresistível!
Samantha e Tormento não sabem, mas as suas vidas jamais serão as mesmas.





Vou ser sincera e dizer que o livro atiçou minha curiosidade pela sinopse, e pelos comentários de alguns ig's literários que diziam que a história é fantástica. Apesar disso eu não esperava algo assim, "super legal uau nossa preciso ler esse livro ou morrerei" Sabe quando você espera que o livro seja bom mas não que ele seja seu favorito? Foi isso que aconteceu comigo, e preciso dizer: amo quando sou surpreendida.

Conhecemos Sam e percebemos que ela tem uma vida aparentemente agraciada, mas que não lhe trazia felicidade. Aquele eterno complexo de "pobre menina rica"? Essa era Sam, uma das seis integrantes do Clã Hoffer, a família que praticamente era dona de Tormento. Com suas primas e companheiras, a ser: Sy, Regi, Luci e mais sua irmã mais nova Babi , ela não tinha opção a não ser viver conforme os padrões impostos por ser quem era. Apesar de todo o luxo pelo qual era cercada, ela se sentia isolada, assim como a ilha em que vivia com sua família.


Mesmo sendo a mais diferente de todas as Hoffer, e isso incluía sua mãe e suas tias, Sam sabia que uma vida sem elas seria horrível. Embora fosse grata por elas, o fato de ser completamente diferente de suas primas Sy e Regi, de sua mãe parecer odiá-la, da forte saudade que sentia do pai e da falta de respostas sobre sua morte deixavam Sam irritada e insatisfeita. Para piorar um pouco a situação, existia Martin: o namorado de desde a infância, que Sam não amava mais.

A única coisa que ajudava Sam a encontrar paz de espírito era surfar. No mar, ela sentia todas as suas preocupações e medos irem embora com as ondas. Apoio ela também encontrava em sua melhor amiga e prima , e em seu melhor amigo Artur que todos chamavam apenas de Tur.

A patrona da família era a Vó (Vozinha) de Sam, que estava sempre presente pelas netas, mas que sempre deixava as netas com perguntas sem respostas. Sem outra opção, ela segue aceitando tudo em sua vida, sendo passiva em cada relacionamento. Até que um dia chegam novas pessoas a cidade de Tormento e que mudam tudo para a família Hoffer.

O novo aluno Benjamin e sua irmã Tamisa são motivos para muito alvoroço na escola e na casa das Hoffer. Sy e Regi disputavam quem seria a primeira a conquistar o coração do gato misterioso, enquanto se preocupava em fazer mil perguntas a Tamisa. O que nenhuma delas esperava era que Ben e Sam criassem uma conexão forte, que mesmo crescendo em meio a brigas e discussões acaloradas, sobrevive e luta para uni-los. 

— Adoro quando você fica brava.
Enfim, ele conseguiu dizer, ao meu ouvido, com uma risada mal disfarçada, mas o efeito não deixou de ser devastador, mesmo contra a minha vontade, que se esfarelava conforme ele seguia pelo meu pescoço. Os nossos corpos entrelaçados lembravam o quanto ele era meu naquele momento. Sua risada leve me acalmava, e seu cheiro estava impregnado no meu corpo sem sinais de algum dia enfraquecer; eu não queria sair dali nunca mais! Eu tinha de fazê-lo ficar falando para parecer mais real.
— Tu és um chato mesmo.
— Que você adora.

Tudo era contra essa união, e não ajudava muito o fato de Ben estar ali em Tormento apenas de Ben era muito misterioso, assim como tudo na vida de Sam. Cansada de continuar sem respostas, acompanhamos nossa personagem principal lidar com toda a loucura momentânea que cerca sua vida após a chegada dele.
passagem.

"Ainda sem encará-lo, senti-o se aproximar e, quando começou a beijar os meus olhos e as minhas pálpebras, fiquei totalmente sem ação. Nem as borboletas malditas conseguiam fazer alguma coisa. Parte de mim estava feito manteiga derretida, a outra parte queria começar a chorar. Não sei bem ao certo o que passava pela cabeça dessa parte.
Ele começou a descer, cobrindo com beijos todos os ferimentos do meu rosto. Quando ele alcançou os cortes da minha boca, eu parei de respirar, mas ele não parou de me beijar, e, após uma breve hesitação, sua boca estava inteiramente na minha. A parte, que se derretia havia ganhado e nada mais me importava agora que ele me abraçava forte e me beijava de forma tão doce."

Sam precisava sair da sona de conforto, parar de ser passiva em tudo e começar a fazer suas próprias escolhas. E ver isso acontecer foi empolgante. A curiosidade sobre quem Ben realmente era e o que ele fazia em Tormento te consomem do início ao fim, como todo bom suspense. Essa obra é recheada de reviravoltas, momentos engraçados e apaixonantes, que de forma fluída nos faz devorar em questão de horas o livro 1 e procurar alucinadamente o 2.


Há muito mais sobre essa história do que o que lemos na sinopse; ou mesmo na minha resenha. Mas não quero tirar o encanto da descoberta, então você precisa ler. Eu nunca, JAMAIS, esperaria o final que encontramos, e fiquei tão empolgada com isso que não consigo encontrar palavras para expressar. 

Amei ver Sam crescer e se tornar uma mulher forte ao invés da menina frágil que era, adorei conhecer Ben e entender o que ele tanto escondia, amei real todas as jovens Hoffer e desejei muito ter parentes assim (e também ter um livro para cada uma). O mistério que cerca a vida delas é forte e perigoso, mas é como se elas estivessem cegas propositalmente a ele. Vivo pelo momento em que elas, principalmente Sam, verá a verdade sobre quem ela realmente é. 

   Eu sempre soube que havia algo sobre Benjamin que me escapava. Sua família era estranha, nunca nada fez sentido, e vendo-o ali, encharcado e pingando, mais olhando para o chão do que para mim, eu percebi como estava olhando tudo da forma errada, o quão egoísta eu estava sendo. Ele tinha arriscado tudo para vir me ver, ele estava tremendo de frio, todo molhado, e eu ruminando sobre como isso tudo seria possível.
    Entretanto, eu sabia que o fogo tinha começado no meu quarto, eu vi isso ao buscar minha família e ao sair da casa. Nos outros cômodos só havia fumaça, e eu só conseguia pensar que havia apenas uma coisa em comum com o outro atentado, e era o que mais me assustava, era por isso que eu torcia por um assassino ousado.
As únicas coisas que se repetiam nos dois momentos era eu e o garoto por quem estava completamente apaixonada.

A narrativa da autora é leve, com direito a muita descrição dessa cidadezinha linda que é Tormento e bem misteriosa, ao construir em nós leitores página por página sentimentos conflitantes sobre todos os personagens. Um conselho para quem ficou interessado: desconfie de todos. E aproveite MUITO sua leitura!

isabela ottoni

Um comentário:

  1. Oii Isa,

    Primeiramente, que fotos lindas são essas??? Suspirando...
    Ao ler Luxúria me senti igualzinha a você, tinha ouvido comentários maravilhosos, mas não imaginava que a obra fosse tão fascinante. Esse livro é de tirar o fôlego!!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir

Instagram